terça-feira, 29 de junho de 2010

Transição - O que é Virtude? com Raul Teixeira 27/06/2010,

Se você perdeu o Programa Transição exibido no 
dia 27 de Junho,aproveite!
entrevistado José Raul Teixeira
tema: Virtude

1ªParte
O que é virtude?
Reencarnação e Virtude
Conhece-te a ti mesmo?


2ª Parte 
Como adquirir virtudes?
Os exemplos dos pais influenciam as crianças?
Como resistir as tentações?

3ª Parte
Raul nesta parte fala da Instituição Remanso Fraterno.
 Livre Arbítrio e Virtude
 Jesus e as virtudes.

Deixe seu comentário.
E não percam no próximo Programa: 04/07/2010

ConvidadoDr. Sérgio Felipe de Oliveira
(Neurologista clínico, neuro cientista, psiquiatra e 
pesquisador da glândula pineal.)
Tema:  Doença e Mediunidade

Mais Informações acesse.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Reencarnação: Histórias de Vidas Passadas

Programa da Discovery Channel sobre Reencarnação e História de Vidas Passadas,  com discussões sobre o tema em algumas religiões e doutrinas reencarnacionistas. O programa esta dividido em partes e foi postado por autor desconhecido no Youtube.






Entrevista na Rádio Cacique de Santos


O presidente da Associação Médico-Espírita de Santos,
dr. Flávio Braun Fiorda, participa de uma entrevista na Rádio Cacique de Santos AM 1510, no dia 25 de junho, às 15h.
Você também poderá ouvir no site da rádio
http://www.radiocacique1510.com/
Prestigie.



Jornada de Saúde e Espiritualidade - 16 de Agosto em Santos

Clique na imagem e amplie.


O Grupo de Estudos de Medicina e Espiritismo (GEME), coordenado pelo 
dr. Fernando Guimarães, vice-presidente da AME Santos, promove dia 16 de agosto a XI Jornada de Saúde e Espiritualidade do GEME. 


O evento conta com os palestrantes dr. Sérgio Felipe de Oliveira que discorrerá sobre
 "Fisiologia e Fisiopatologia dos Estados de Transe" e dr. Flávio Braun que abordará o tema "Depressão e Transtorno do Pânico associados com aspectos espirituais".


 O local será na Universidade Santa Cecília, à rua Cesário Mota, 8, no Boqueirão, em Santos, a partir das 19h. 


Outras informações através do e-mail jornadasaudeespiritualidade@yahoo.com.br

                                                                  Fonte : Associação Médico-Espírito de Santos

Programa Transição disponível em áudio

Você perdeu algum Programa ?
Não tem tempo de ver,enquanto faz suas tarefas ?
Seus horários não permitem assistir ?


 Os dias para essas desculpas acabaram,pois o site do programa disponibilizou todos eles em MP3 para todos acessarem.

Basta clicar no link 
e terá todas as informações.

Atualize-se e Bom Programa !

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Programa Transição - Os animais tem alma? com Marcel Benedeti

Programa Transição exibido dia 20/06/2010, o entrevistado é Marcel Benedeti, com o Tema "Animais".
 Ele responde nesta parte: Os animais tem alma? O que é alma na visão espírita? Existe diferença entre alma humana e dos animais? Existem colônias espirituais que cuidam de animais? Hoje há preocupação maior com os animais? Citações sobre animais em livros espíritas e a sobrevivência da alma dos animais

1ª Parte

2ª Parte
Ele responde nesta parte:
Os animais refletem o estado do seu dono?
Como contribuir para que os animais sejam mais respeitados?

3ª Parte
Ele responde nesta parte
Quais as consequências para quem maltrata os animais?
Os animais evoluem?



sexta-feira, 18 de junho de 2010

Tertúlia 31 anos - Comemoração


Nesta semana de aniversário do Tertúlia,teremos Sebastião Catai trazendo o tema Apometria.
Saiba mais,clique aqui.
 

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Vida após a morte será tema de tese em Universidade de São Paulo


 Sonia Rinaldi

O assunto não tem nada a ver com religião, apesar de falar de vida após a morte. Sonia Rinaldi há mais de 20 anos pesquisa o assunto e prepara-se para um desafio hercúleo: levar para um ambiente totalmente cético algo que comumente é tratado com crença. Ela vai defender, a partir deste ano, uma tese de mestrado na PUC – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, intitulada “Transcomunicaçã o: Interconectividade entre Múltiplas Realidades e a Convergência de Ciências para a Comprovação Científica da Comunicabilidade Interplanos”, com a qual pretende comprovar que após a morte do corpo físico a consciência sobrevive.



Essa consciência, segundo Sonia, classificada de vários nomes, mantém sua individualidade, história, aquisições morais e intelectuais, além de ter capacidade de comunicação com o mundo da matéria. Atualmente, como uma das coordenadoras do Instituto de Pesquisas Avançadas em Transcomunicaçã o Instrumental, Sonia passa seus dias conectando aparelhos de gravação de áudio e vídeo, buscando contato com o que convencionamos chamar de “o outro lado da vida”.
Para a pesquisadora, o fato deste tipo de abordagem adentrar o mundo acadêmico é uma conquista que só será percebida no futuro, mas que trará benefícios para toda a Humanidade: “É chegada a hora de sair da infância e encarar a realidade da     nossa evolução contínua.”, diz Sonia.
Acompanhe a entrevista exclusiva concedida por Sonia Rinaldi ao editor da NovaE. 

Após 20 anos de pesquisa, como a ciência clássica, baseada em conceitos da matéria, vem encarando o seu trabalho?

A Ciência, de forma ampla, está longe de se interessar. Uns tantos cientistas mundo a fora vêm trabalhando no sentido de documentar a realidade da sobrevivência após a morte. Porém, quer nos parecer que nenhum fenômeno é mais concreto - e, portanto, suscetível de toda sorte de análises e investigação, como requer a Ciência -do que a Transcomunicaçã o Instrumental – ou seja, a comunicação com o Outro Lado da Vida através de gravações em computador e vídeo. Este ano de 2009 traz uma nova rota para nossa pesquisa, pois inicio Mestrado na PUC – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, justamente para levar a Transcomunicaçã o ao meio acadêmico, coisa que jamais ocorreu na História. Veremos, daqui a uns anos, o que teremos conseguido. 

Como foi o processo de aprovação de sua tese de mestrado, sobre este assunto tão avesso ao mundo acadêmico?

Chegaram a me chamar na PUC para eu mudar minha tese, mas não aceitei. Tenho premência em conduzir a pesquisa conforme a proposta, pois minha tese não será simples – propus uma mega-tese multidisciplinar, pois já considerei o fato de que eu, sozinha, seria inapta para comprovar qualquer     coisa. Propus a participação de engenheiros, físicos e matemáticos – todos com doutorado, para que sejam eles que avaliem, dentro dos parâmetros requeridos pela Ciência, que o fenômeno é real. A minha parte é levantar a ocorrência do fenômeno – a deles será endossar a autenticidade e – dentro     das possibilidades –, tentar explicá-lo. 

Quem serão os maiores beneficiados com a comprovação científica da sobrevivência após a morte?

A meu ver, a própria Humanidade, que deixará de se enganar. É como se fosse chegada a hora de sair da infância e encarar a realidade da nossa evolução contínua. 

Você pode explicar aos nossos leitores, em sua maioria, leiga neste assunto, o que seria a hipótese "sobrevivencialista " em contraposição à hipótese "psi"?

Quem é a favor da sobrevivência após a morte vê a coisa como sendo o ser humano composto de um corpo e uma alma, ou espírito. Na morte do corpo físico, esse espírito ou consciência, prosseguiria na jornada. Esse é o ponto de vista dos espiritualistas. Já uns tantos parapsicólogos acham que os fenômenos paranormais não são resultado de uma intervenção espiritual, mas sim, produto da própria mente de quem produz o fenômeno. No caso da Transcomunicaçã o, exaustivamente essa segunda hipótese fica descartada, por uma série de fatores que não arrolaremos para não nos estendermos. Mas sumarizamos dizendo que as Vozes que gravamos falam de coisas que ninguém sabia, dão nomes de pessoas, cidades de origem, etc., que o transcomunicador nunca ouviu falar. Filhos falecidos mencionam peculiaridades que só a família sabe, etc. Não há a menor possibilidade de ser produto da mente de alguém. Necessariamente, os contatos mostram que estamos em contato com seres que já partiram. 

Como são realizadas suas experiências de gravação? Qual é sua rotina de pesquisadora?

Agora, com o Mestrado, tudo girará em função disso, e as gravações serão feitas para que os cientistas que participarão da tese possam ter mais e mais elementos de estudo. Fora disso, vou continuar dando uma aula por mês de como gravar para as pessoas interessadas. 

Nos workshops realizados por você, como as pessoas têm reagido ao contato com entes que se foram? Na mesma linha desta questão, a saudade e a necessidade de um contato não podem prejudicar uma análise racional?

Em todos os cursos (workshops) que damos, todos obtêm resultados de seus falecidos e aprendem a gravar. Não há como comprometer a interpretação, porque, ou a resposta está lá ou não está. Nossas gravações há anos são bem claras... não deixam margem de dúvida ou permita dúbia interpretação. Se a gravação/resposta não for clara, será descartada. 

Quando se fala em vida após a morte, as pessoas fazem logo uma conexão com religião, que, no sentido clássico, vai na contramão da pesquisa científica. Como você lida com isto?

Religião que se esconde atrás de dogmas e não respeita a lógica deve estar com os dias contados. A globalização e o avanço tecnológico despertaram a racionalidade, e a visão setorizada tende a mudar. Ou algo é "verdade" ou não merece crédito. E tudo que é "verdade" tem que ser passível de análise e investigação. Há de chegar o tempo em que o ser humano dispensará supostas leis divinas, sejam lá quais forem, que não passem pelo crivo da lógica racional. 

Considerando a hipótese sobrevivencialista, quais as diferenças deste contato em relação à psicografia, já que as gravações captam pequenas frases, às vezes com uma     estrutura gramatical inversa, bem diferente dos livros mediúnicos, que são verdadeiros tratados, romances, com estruturas complexas...

A diferença fica por conta de que tudo que não pode ser matematicamente investigado, fica excluído do interesse da Ciência. Até hoje, centenas de médiuns têm dado importante contribuição no sentido filosófico e social; porém, fica fora da possibilidade da comprovação da realidade disso. Já no caso da Transcomunicaçã o, qualquer "alô!" vem com um peso incontestável diante dos olhos de um cientista. Por isso, penso que a Transcomunicaçã o Instrumental é o veiculo mais poderoso para comprovar que se vive depois da morte, além, claro, de levar consolo a milhares de pessoas que sofrem com a perda de alguém querido

Manoel Fernandes Neto ( Nova E )

terça-feira, 8 de junho de 2010

Próximo Programa Transição





Suely Caldas Schubert nasceu em Carangola, MG. Desde jovem, dedica-se às atividades espíritas, especialmente no âmbito da mediunidade e da divulgação do Espiritismo. Autora de nove livros, é também conhecida expositora, tendo realizado dezenas de palestras no Brasil e no exterior.

Pela Editora da Federação Espírita Brasileira lançou seus dois primeiros livros – Obsessão/Desobsessão: Profilaxia e Terapêutica (1981) e Testemunhos de Chico Xavier (1986).
Outros livros de sua autoria são O Semeador de Estrelas (1989), Ante os Tempos Novos (1996), ambos pela Editora LEAL; Mediunidade: Caminho para ser Feliz (1999), pela Editora Didier; e Transtornos Mentais (2001), pela Minas Editora.
Em 1986, Suely fundou com um grupo de companheiros a Sociedade Espírita Joanna de Ângelis, em Juiz de Fora, da qual foi a primeira presidente e hoje exerce a vice-presidência. Tem uma atividade intensa na Aliança Municipal Espírita dessa cidade, onde reside e é diretora do Departamento de Mediunidade
.





Próximo Programa: 13/06/2010

Convidado: Suely Caldas Schubert 

Tema: Nossos Pensamentos

Apresentação: Guiomar Sant'Ann







pela Rede VTV (afiliada Santos)  Domingo às 10:30 hs


segunda-feira, 7 de junho de 2010

Programa Transição - Curas Espirituais - com João Berbel (Junho 2010)

Pra quem perdeu o programa  
deste final de semana,basta clicar nos links 
abaixo ou nas telas.Aproveite !



Programa exibido: 06/06/2010

Convidado: João Berbel

Tema: Curas Espirituais
Apresentação: Del Mar Franco



Estamos grato ao canal "ze40"que postou os vídeos,
divulgando assim cada vez mais a doutrina espírita.

Tertulia - 31 anos 
16.06.2010 






sexta-feira, 4 de junho de 2010

Programa Transição desta semana - João Berbel

Próximo Programa: 06/06/2010

Convidado: João Berbel 

Tema: Curas Espirituais

Apresentação: Del Mar Franco





Mais uma vez João Berbel será o convidado do  Programa Transição,sempre com suas histórias interessantes e de temas importantes meio espírita como as 
"Curas Espirituais". Imperdível !




pela Rede VTV (afiliada Santos)  Domingo às 10:30 hs

Palestra Sexta 04 de Junho - Introdução dos Livros dos Médiuns

Sessão mediúnica conduzida por 
John Beattie Inglaterra,Bristol 1872

Na segunda metade do sec XIX diversos médiuns foram levados realizar  testes  que  tornaram   supostamente  plausíveis a existência de espíritos, por  exemplo  as  médiuns Leonora Piper   Gladys Osborne Leonard. 


Os resultados obtidos  na  época, com  cada  uma dessas  médiuns,  foram  bastante  convincentes. Piper  foi  tão famosa que chegou ser citada na Enciclopédia Britânica de 1911 em  dois  verbetes[4] [5], e ainda admitida no discurso de William James publicado pela revista Science como possuidora de poderes paranormais[6] 


O neurocientista Núbor Orlando Facure diz que a mediunidade é um fenômeno fisiológico, universal  comum   todas  as pessoas,   que pode se manifestar de diferentes maneiras.Nos estudos que realiza, busca compreender a relação entre os núcleos de base dos automatismos psico-motores   e aqueles  que geram o fenômeno da mediunidade.

Em entrevista dada à revista Universo Espírita  (N°35, Ano  3), Facure  aponta  que os  neurônios  em espelho podem ser  os  responsáveis pela sintonia que permite sentirmos no lugar do outro.No entanto,Facure também diz que isso são apenas conjecturas e  que atualmente não existe comprovação científica de que o fenômeno se dê dessa forma[7]

Em pesquisa realizada por Frederico Leão e Francisco Lotufo, Médicos-   psiquiatra da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, constatou-se uma melhora dos aspectos clínicos e comportamentais de "650 pacientes portadores de deficiências mental múltiplas" ao     submetê-los um tratamento espiritual realizado através de reuniões mediúnicas. Como resultado do estudo,  os  autores  sugerem   "aplicação do modelo de prática das comunicações mediúnicas como terapias complementares"[8].

                                   ALLAN KARDEC
                       ESPIRITISMO EXPERIMENTAL
                                 O Livro dos Médiuns
                                               OU
              GUIA DOS MÉDIUNS E DOS EVOCADORES

Ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo constituindo o seguimento de   O Livro dos Espíritos.

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA
DEPARTAMENTO EDITORIAL
Rua Souza Valente, 17
20941-040 
62ª edição
Do 845 º ao 875º milheiro
Título do original francês:
LE LIVRE DES MÉDIUMS ou
GUIDE DES MÉDIUMS ET DES ÉVOCATEURS
(Paris, 15-janeiro-1861)
Tradução de GUILLON RIBEIRO
da 49ª edição francesa


Introdução

Revela a finalidade pela qual fora  desenvolvido as diretrizes  de  trabalho  dessa  obra,  onde  que  dentre  os  adeptos venham  em  busca  de  aclarar  as  suas  visões, na  prática  dessa ciência. Adverte  também  a  falsa  idéia daqueles que pensam, que para se considerarem perítos sobre a matéria, basta-lhes colocar os dedos sobre uma mesa, afim de move-las, ou segurar um lápis para escrever. Igualmente enganado estaria quem supusesse nesta obra, uma  receita  universal  e  infalível  para  formar  Médiuns,  pois  tais qualidades  são  existentes   em   graus   muito    diferentes,  e   seu desenvolvimento,  depende   de   causas   que  a   nínguem  é  dado conseguir  se  verifiquem  a  vontade. De  mesma forma que noutras ciências  não façam gênios, que  sem a devida dedicação tornem-se exímios nessas artes, mais que busquem pelo conhecimento, guiem-se e cultivem o emprego de suas faculdades naturais.

Com o objetivo de indicar os meios da faculdade mediúnica, tanto quanto permita as disposições de cada um, e, sobretudo dirigir-lhes o emprego útil, quando  ela existir. Embora  esse  não  seja  o  objetivo  final, ainda  coloca  seus  ensinamentos  a  uma gama de Médiuns propriamente ditos,  cujo  crescimento  diário  e   inevitável, e a uma multidão de pessoas que  se  ocupam  com  as  manifestações  espíritas.  Guia-las    nas    suas observações, assinalar-lhes  os  obstáculos  que  irão  encontrar, indicando meios de conseguirem boas comunicações. Haverá também àqueles que a primeira  vista, as  instruções  lhes  sejam   descabidas; a experiência  lhes realçará  a   utilidade. Quem  quer  que  estude   cuidadosamente,   melhor compreenderá  fatos aos  quais venha   ser testemunha, e menos estranha lhe  parecerá  a  linguagem  de  alguns  Espíritos. Sendo  assim, portanto a destinação  não  só  exclusiva aos Médiuns, mais a todos  que estejam  em condições de ver e observar os fenômenos espíritas.
                       
Essa  obra  não  pode assim ser mais resumida, assim como fora  elaborada  um  guia prático na sua primeira edição, pois incorreria em um gravíssimo erro,  pois  na  possibilidade  de   espalhar-se   a  um preço  módico representaria um poderoso meio de propaganda pela multiplicação dos Médiuns, e ao ver de seus autores, ao invés de útil, lhes seria nocivo, contrário ao propósito de objetar um Estudo sério,  e  de  forma   resumida apenas arruinásse àqueles que utilizassem para experiências levianas, das quais  viessem  os  experimentadores   arrepender-se. Reiterando  o  firme propósito de dirigir-se aos que vêem no Espíritismo, um objeto sério, e lhe compreende-se toda a gravidade de não fazerem das comunicações com o mundo invisível um mero passatempo.

Entre  todas  as considerações desta obra também é salientada a má  impressão   que  possa  ser produzidas  nos novatos, em experiência levianas  feitas  sem o conhecimento de causa, experiências que levem o inconveniente  de  gerar  idéias  falsas,  acerca do mundo dos espíritos, e dar  azo  a zombaria e a uma crítica sempre fundada. De tais reuniões, os incrédulos  raramenre  saem   convertidos   e   dispostos  a  considerar no Espiritismo algo de sério.  Para  opinião  errônea  de  grande  número   de pessoas, muito   se   tem  contribuído  a  ignorância  e leviandade e vários médiuns.
              
Importantes   alterações   para   melhor   foram  introduzidas    na segunda  edição, mais completa  que na  primeira,  acrescentado   grande número de notas e instruções do maior interesse, os Espíritos a corrigiram e reviram tudo aprovando-a, ou modificando à sua vontade, com particular
cuidado, pode-se dizer que ela é grande parte obra deles.


Antes de inciarmos o primeiro capítulo, assistirmos um
filme para entendermos do que estamos expondo.



PRIMEIRA PARTE
Noções preliminares










               CAPÍTULO I    -    Há Espíritos?